Questionadores, esses teimosos tentadores de janelas estão por toda parte. Onde menos se espera – como o café da reitoria da universidade – se encontra quem leva o esporte às últimas consequencias. Como aquela senhora que conversava sobre escovação dental com seus amigos velhotes enquanto finalizava a sopa.

Uma das premissas a se ter na vida é não levar para casa e inserir no cotidiano informações que soam a axiomas de um teorema. Ou seja, não botar fé em qualquer papinho besta sem pelo menos perguntar “É memo?¨. Era o que tentava mostrar a velhota aos amigos, talvez sem se dar conta, quando contava sobre sua desconfiança em relação aos vaticínios de uma amiga – quem sabe uma neta, uma sobrinha –, que alardeava a necessidade de sermos todos sustentáveis.

Vai um copinho?

A amiga da senhora e do meio ambiente – como todos viemos nos tornando – recomendava a mudança de hábitos, munida de dados que atestavam a urgência disso. Para que fechasse a torneira, ela argumentava que uns 9 litros de água são disperdiçados durante a escovação. A senhora achou aquilo demasiado. “É memo?”

Foi escovar os dentes e levou junto uma bacia. A água que seria disperdiçada ficou ali e ela pode medir o gasto: 3 litros. Seus dois amigos velhotes aprovaram a atitude com trocas de olhares vencedores.

Até que um se lembrou: se calhar, também não escovava exatamente da forma como recomendam os peritos, daí a diferença para os dados trazidos pela amiga em questão. Ela, uma insurgente, concordou. Mas foi lá buscar outro argumento para provar ser sustentável. “Na verdade também não tenho mais tantos dentes. Restaram só uns pedacinhos para segurar os que eu posso tirar.”

Todo mundo concordou que os banguelas, se calhar, agridem menos o meio ambiente. Ela se tranquilizou. “Escovar os dentes usando o copo, não. Lembra o tempo em que era nova, não tinha outro jeito. Lembram?” Eles assentiram. “Luz branca eu também não gosto, é muito claro para se ter numa casa.”

Anúncios

Uma maneira que a gente encontrou, sem pensar muito, de economizar plástico é forrar o lixinho do banheiro com jornal velho. Qualquer um leva jornal para o banheiro, a questão é usá-lo da maneira mais sustentável possível. Se houver alguma contra-indicação para o meio ambiente, por favor, avisem.

A ideia era colocar aqui uma bela lufada de inspiração contra as sacolas plásticas, mas uma busca no Youtube mostrou muito mais criatividade pró.  Diante disso, fica mesmo uma inspiração negativa. Vale para semear a discórdia.

http://www.youtube.com/watch?v=M2Oo2mKeFrI&feature=related

O bloco do Benefício da Dúvida pergunta: vendo isso abaixo, é para usar ou não?

http://www.youtube.com/watch?v=pGX-XykQmWo

%d blogueiros gostam disto: