Tratar por tu

julho 19, 2011

E, mas uma coisa que estes tugas sabem fazer bem é usar o português. Além do sotaque, o português e o brasileiro são difererentes por causa das construções povoadas de ênclises (ahn?!), mais indiretas e o uso de cada pronome para uma situação.

Nas entrevistas e e-mails do dia a dia, a gente garimpa as construções comuns daqui e tenta reproduzir. Vez por outra recebemos algumas dicas sobre a forma de escrever e tratar as pessoas deste lado do atlântico. Dependendo do tom, agradece-se o toque e passa-se a falar melhor na língua local. Mas estamos longe de conseguir usar no dia a dia construções rebuscadas como as que eles fazem. De vez em quando, até largamos uns suspiros baixinhos sem que o interlocutor perceba. Como ele disse essa bobagem de uma forma tão bonita?

Mas isso não vem assim de graça. O rigor com o falar, a forma de falar é também muito maior aqui. Enquanto no sul do Brasil usamos o sujeito tu e conjugamos o verbo como se fosse você (em alguns lugares, já sei, porto alegrenses) e não estamos nem aí, em SP e Rio todo mundo é você, mas também não tem problema você manter o tu. Por todo país, o momento de usar “senhor” é intiuitivamente descoberto sem grandes consequencias se mal entendido. Às vezes um “seu” resolve melhor.

Aqui o pronome é usado pelo significado da relação que se tem com a pessoa e a mudança dele mostra que a relação mudou. “É aquele tipo de pai que trata as crianças por você”, dizem para se referir às famílias muito formais, em que são uns distantes dos outros. Estas, às vezes, usam os nomes ou substantivo das pessoas em vez de tratá-las por pronomes, essa é a forma mais comum de distanciamento aqui.

Tão distante que às vezes nos deixa meio em dúvida se a pessoa subitamente deixou de nos ver. “E a menina já decidiu qual gelado irá comprar?” Poxa, mas o gajo está falando comigo ou está comentando com o colega sobre minha indecisão de qual sorvete escolher? Para dizer o quão você é íntimo de uma pessoa, distraidamente você (ou tu, porque somos bem próximos dos nossos queridos leitores) larga: “temos uma relação de tratar por tu, ir beber um café”.

Abaixo vão algumas frases bem construídas

De certeza absoluta que me vai fazer sentir bem.

Nela nunca na vida se pode achar culpa do que se está a passar.

Até provavelmente não te vai doer porque vão dar anestesia local e tudo.

Pagamos-lhes mal, damos-lhes pouco benefícios e tudo bem.

%d blogueiros gostam disto: